Construindo Minha Casa Clean: Vende-se Tudo!

Vende-se Tudo!




No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou:
- Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
- Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida. Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa. Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas. Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu. No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros. Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material. Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo.Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar. Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida. Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile. Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha 2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio. Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa. Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza: " Só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir, " é melhor refletir e começar a trabalhar o DESAPEGO JÁ! Não são as coisas que possuímos ou compramos que representam riqueza ou plenitude. São as dádivas especiais que não tem preço, as pessoas que estão próximas da gente e que nos amam, a saúde, os amigos que escolhemos, a nossa fé e Paz de espírito. 

(Martha Medeiros)

Recebi este texto por e-mail e achei muito importante compartilhar com vocês! Espero que tenham gostado...Que Deus abençoe a todos nós e a cada construção, para que não seja apenas mais uma casa e sim um verdadeiro lar!



Que tal fazer um Curso de Decoração?


21 comentários:

  1. Adoro Martha Medeiros, seus textos tem sempre um tom de ensinamento de vida. Gosto desse tipo de texto. Pois é... a vida é assim, devemos conjugar mais o verbo "ser" no lugar do verbo "ter". Bela reflexão para o final da noite. Uma boa noite para vc e bjkas no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ótima reflexão!
      Tenha uma noite abençoada!!!
      Beijos

      Excluir
  2. Achei vc.... E ja estou te seguindo... Obrigada pelo lindo texto... Que a cada dia possamos "desapegar" de tudo que tenta tomar o lugar das " verdadeiras bagagens" ... Bjokass

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Visitei você e já estou te seguindo também...
      Que bom que tenha gostado!!
      Verdade, desapego já das coisas materiais...
      Beijos!

      Excluir
  3. Adorei a mensagem...
    Temos que trabalhar esse lado do desapego né?

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou!!!
      Sim e como... essencial para não nos tornarmos pessoas vazias e até mesmo fúteis!
      Beijos

      Excluir
  4. Mensagem muito linda!!! Entendo perfeitamente o que é praticar o desapego! Tenho um filho de 10 anos, uma criança especial!! Quando a gente é mãe de uma criança "diferente" das outras, tudo muda. Os valores que a gente aprende são outros.Do meu filho eu recebo o amor mais puro e verdadeiro que existe, ele me ama, porque me ama mesmo.Não quer nada nunca em troca, não sabe o que é plastation, celular, tablet, no mundo dele não há essas coisas.Ele simplismente ama. E eu o amo acima de qualquer coisa nesse mundo. Bens materiais tornam a nossa vida mais confortável, é verdade, mas hoje em dia consigo me desapegar de muita coisa Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindas palavras as suas!
      Em um mundo onde impera tanta falsidade e ganância, sentir-se amada de verdade é o melhor presente que Deus pode nos dar...
      Eu não tenho a mesma experiência que a sua, mas pelas que já vivi também posso dizer que consigo me desapegar de muita coisa mesmo! Só tenho a agradecer ao PAI eterno por tudo que ele fez por mim, muito além das minhas forças.
      Beijos!

      Excluir
  5. Achei que era vc, que susto! Lindo texto, ótimo ensinamento! Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era a intenção, para prender ainda mais a atenção dos leitores! rsrsrs
      Beijos!

      Excluir
  6. Nossa Grazi, que texto lindo!!!! :)

    ResponderExcluir
  7. Que texto lindo Grazi!... acho muito legal vc postar esse texto de desapego, pois no momento em que estamos construindo nossa casa, tudo é tão material... a gente fica tão preocupado em como serão os acabamentos e os móveis; a iluminação e a área gourmet, quando na verdade o que mais importa são as pessoas que estarão dentro dessa casa conosco e não os objetos de decoração ou aquele jogo de jantar que você acha que "precisa" tanto!
    Um grande beijo pra ti!
    Que Deus ilumine a sua vida e sua nova casa!

    "A casa da Mi"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso tudo, Mi!!!
      A casa faz parte de nossa felicidade para nos proporcionar mais conforto... mas o que faz toda diferença é estarmos bem dentro dela juntamente com nossa família e amigos!
      Obrigada... que Deus também abençoe você e sua construção!
      Beijão :)

      Excluir
  8. Oi, Grazi. Não tinha lido este post. Quando comentei o post sobre "jardins de invernos ou internos", vi lá embaixo o post "Vende-se" e, curiosa que sou, vim dar uma olhadinha. Estou passando por um momento bem complicado e concordo plenamente com o que vc falou. E tudo o que vc passou tenho certeza que só te fez evoluir como pessoa. Afinal de contas, acredito que estamos aqui para crescermos como indivíduos e evoluirmos como seres humanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de desperdir-me,rsrs.
      Beijão!!!

      Excluir
    2. Oi Dé!
      Esse texto é maravilhoso e da escritora Martha Medeiros!!
      Na verdade não foi eu que passei por tudo isso, rsrs... mas essa história nos serve de exemplo que a verdadeira bagagem na vida não são os bens materiais, mas os sentimentos e afetos com nossos semelhantes!
      Beijão!!!

      Excluir


NÃO ALTERE NEM MOVA ESTE GADGET!



Custom Search
Pin It button on image hover