Construindo Minha Casa Clean: 06/12/13

Aquecedores de Água: a Gás, Solar e Elétrico!


Qual deles é o melhor?


Para esclarecer minhas dúvidas na escolha do sistema de aquecimento, pesquisei um pouco sobre suas vantagens e desvantagens.
O aquecimento a gás e o solar são os que vão nos oferecer mais economia de energia elétrica!! Já o elétrico é  nosso aquecimento convencional, nos chuveiros e torneiras elétricas, que são os que mais dão despesas com a conta de energia! 

Então vamos  as diferenças de cada tipo de aquecedor!!


Aquecedor de Água a Gás





Numa época em que economia de energia se faz tão importante, os aquecedores a gás saem ganhando em relação á energia elétrica, tanto para o gás GN (gás natural) como para o GLP (Gás liquefeito de petróleo), onde o último tipo é o mais barato.
Os aquecedores à gás estão divididos basicamente em dois grandes grupos: os de passagem, e os por acumulação. Podem usar gás natural (que é o gás encanado nas cidades) ou GLP, que é o gás de botijão. É muito importante você determinar qual tipo de gás seu aquecedor irá consumir antes de comprar o aparelho, ou ele não vai funcionar. Se você utilizar um aquecedor a gás de passagem terá uma maior economia, apesar do desconforto de aguardar alguns segundos para ter uma água quente. Nos sistemas convencionais elétricos do tipo “boillers” a água quente é imediata, porém o consumo de energia é bem maior.
Antigamente ocorreram muitos casos de morte devido ao escapamento do gás dentro das casas, e pelo fato do gás não ter cheiro, as pessoas desmaiavam e logo morriam. Mas hoje o sistema é outro, e também a colocação não se faz mais dentro dos banheiros, mas na lavanderia ou numa parede externa da casa.
Atualmente os aquecedores a gás estão com um preço bem competitivo, existem os automáticos com regulagem de temperatura até modelos com controle digital que são mais precisos, porém mais caros. Os tempos de vida útil destes equipamentos costumam ser maior que quinze anos contra um excelente chuveiro que dura em média oito anos.
A primeira condição necessária para um aquecimento a gás é uma hidráulica apropriada, com tubulação para água fria, para água quente e para o gás que vai alimentar o aquecedor, que pode ser GLP (gás liquefeito de petróleo) ou GN (gás natural). Precisamos escolher um aquecedor baseado nos pontos de consumo que queremos ter água quente (chuveiros, torneiras, banheiras, etc.).
Para dimensionamento do aquecedor de passagem as variáveis que são levadas em consideração são: Número de pontos de consumo:
Verificar o número de pontos de consumo que serão atendidos para determinação da capacidade do aquecedor:
8 Litros - Atende um banheiro com chuveiro.
10 a 15 Litros - Atende um banheiro: um chuveiro, podendo eventualmente atender um chuveiro e uma torneira simultaneamente;
18 a 20 Litros - Atende um banheiro, podendo atender dois banheiros próximos com duchas de 8 Lts de vazão, principalmente no verão.
22 a 26 Litros - Atende dois banheiros, com ducha de no máximo 10 litros de vazão.
30 a 37 Litros - Atende três banheiros, com duchas de no máximo 10 litros de vazão.


Aquecedor a Gás de Passagem




Os aquecedores a gás de passagem existem há diversas décadas, mas ganharam um grande impulso no Brasil durante a crise de energia de 2001 e 2002, a época do “apagão”, quando se mostrou uma alternativa de boa eficiência para reduzir o consumo ao longo do período de racionamento.
Os aquecedores de passagem são pequenos e aquecem imediatamente a água que passa por sua alimentação, devolvendo-a quente para a tubulação. No entanto, ao abrir o registro, primeiro vai sair a água fria que ficou parada no cano, entre o aquecedor e a torneira ou chuveiro. A não ser que você não se importe de começar seu banho com água fria, vai ser um desperdício.
Os aquecedores de passagem também tendem a atender um número restrito de pontos de água quente e precisam de acesso a uma área externa para sua chaminé.
Existem muitos modelos, dos mais simples, mecânicos, até os modelos mais modernos, eletrônicos e com controle digital.
Este sistema proporciona maior conforto, economia e maior fornecimento de água quente, em diversos pontos de utilização.
O Aquecedor de Passagem a Gás, é um equipamento destinado ao aquecimento de água para os mais diversos fins, principalmente para o Banho. É um produto baseado na circulação contínua da água através de seu interior, assim que acionado, por isso é chamado de "passagem", por que não existe reservatório para acumular a água aquecida, que é fornecida instantaneamente quando acionado.
Este acionamento é feito pela abertura dos registros ou misturadores de água, que faz com que o aparelho comece imediatamente a funcionar, automaticamente, gerando água quente para todos os ramais disponíveis da casa ou apartamento.
Seu funcionamento é simples, embora incorpore muita tecnologia, podendo ser resumido conforme os itens abaixo descritos:
Funcionamento de aquecedor de passagem a gás
Ligado um ponto de água quente, a água fria passa pelo aquecedor acionando o dispositivo para acender o queimador. A água segue pela serpentina por toda a câmara de combustão onde a água aumenta sua temperatura por ganhar calor do queimador. Uma vez que a água foi aquecida vai para o ponto de distribuição de consumo de água quente.
Para que estas operações se realizem, é preciso que existam condições ideais, já preparadas no local onde se vai utilizar o aquecedor de água a gás, ou seja:
- Ponto padrão de Gás
- Tubulação Hidráulica (entrada e saída de água)
- Pressão de Água (ideal 10 mca)
- Furo da chaminé (conforme o modelo a ser utilizado)
- Boa qualidade de água (tratada por concessionária)
- Duchas adequadas (vazão 8 litros)
- Local adequado (conforme a norma NBR 13.103)
- Registros de água quente e fria com misturador em formato Y
- Ponto elétrico (Digital Line e Onnsen Plus)
Respeitadas estas condições e uma vez adquirido o produto, será a vez de se chamar a Instaladora Autorizada (IR) que fará o serviço de colocação e acionamento do aquecedor. É importante notar que se a instalação não for feita por empresa autorizada, o equipamento perderá a garantia, conforme está descrito no Manual de Instruções do Produto.


Aquecedor a Gás Por Acumulação




Os aquecedores a gás por acumulação lembram bastante os boylers elétricos. Existem muitos modelos, mas os mais comuns se assemelham a um grande cilindro, onde ocorre o aquecimento da água.
A vantagem desse tipo de aquecedor é o fato de sempre existir uma quantidade razoável de água quente em seu interior (em função da capacidade do aquecedor) e a água quente chegar mais rapidamente até o ponto de uso.
O fato de ter uma capacidade maior do que os de passagem também permite ao aquecedor de acumulação atender diversos pontos de consumo, ou um ponto de grande demanda, como uma banheira, por exemplo. Seu tamanho, no entanto, é muito maior do que um aquecedor a gás de passagem.
Existe ainda a possibilidade de união dos sistemas de passagem e acumulação. As empresas que executam esse tipo de instalação costumam chamar o sistema conjugado de "central térmica", que consiste basicamente de um aquecedor de passagem ligado a uma bomba e a uma central de acumulação (com ou sem possibilidade de ligação elétrica).
Essa central garante que sempre haja água quente disponível, de forma similar ao aquecedor de acumulação.
Onde o aquecimento ocorre através da passagem da água por um sistema de serpentinas, tendo reservatório por acumulação.
Sua configuração normal suporta pressurização equivalente a 40m de coluna d’água (pressão estática máxima).
Capacidade de armazenagem: de 75 a 400 litros.
Disponíveis nas versões GLP (gás liquefeito de petróleo) e GN (gás natural).
Isolamento térmico em poliuretano expandido conserva a temperatura da água aquecida por mais tempo, reduzindo o consumo de gás.
Termostato acende a chama sempre que a temperatura da água atinge um nível abaixo do programado (VTG).
Termostato eletrônico acende a chama automaticamente caso a temperatura da água atinja um nível abaixo do programado (VTG Automatic). Instalação vertical.
Maior Durabilidade: Tanque interno em aço carbono revestido com exclusivo esmalte vítrio.
Bastão de anodo de magnésio proporciona proteção extra contra corrosão.
Capa externa em chapa de aço laminada à frio e desengraxada, protegida com tinta anti-corrosiva, acabamento em esmalte sintético e polimerizado em estufa.
Segurança: Fecha automaticamente a passagem do gás caso a chama piloto se apague, eliminando o risco de vazamento (VTG).
Válvula de segurança alivia a pressão interna do reservatório quando esta ultrapassa o limite pré-determinado.
Dispositivo interrompe a passagem de gás em caso de falha na chama (VTG Automatic).
Flexibilidade: Opção de apoio elétrico, permitindo a utilização em eventual falta de gás.




Aquecedores de Água Solar




Os solares são compostos de grandes placas, geralmente colocadas no telhado, que reaproveitam a
luz do sol para gerar energia e aquecer a água. 
Uma alternativa econômica e ecológica para aquecer a água e ideal para quem deseja reduzir gastos com a energia elétrica!
Os aquecedores solares têm ganhado bastante espaço nos últimos anos e mais recentemente têm sempre sido cogitados como uma forma de melhorar a eficiência energética das construções, tornando-as mais sustentáveis.
O sistema exige espaço e exposição à insolação, por isso é quase sempre instalado no telhado ou laje das casas. É composto por uma série de placas de aquecimento (superfícies percorridas por filetes de água que são aquecidos pelo sol) ligadas por uma bomba a um cilindro de acumulação.
Em geral, esse cilindro também possui uma resistência e funciona como um boiler elétrico, seja para manter a água quente à noite, seja em dias de pouca insolação.
O sistema solar tem um custo de instalação mais alto do outras opções de aquecimento, mas a redução na conta de luz e gás deve, após determinado tempo de uso, compensar o investimento e gerar benefícios para o usuário. Para essa conta fechar, entretanto, é necessário que o uso seja constante. Assim, em casas de veraneio, a questão financeira deve ser analisada mais criteriosamente.
Além das tipologias descritas acima existe uma série de aquecedores comunitários, mais conhecidos como caldeiras, que são comuns em edifícios de apartamentos, hotéis, hospitais.
As caldeiras podem funcionar a gás, eletricidade ou até a lenha, e a sua escolha deve sempre ser baseada em uma série de questões muito específicas, realizada usualmente por profissionais da área de hidráulica.
Outras formas de se aquecer água estão em pesquisa, tanto em âmbito doméstico como nos de maior escala, e os próximos anos prometem novas tecnologias.
Um sistema básico de Aquecimento de água por Energia Solar é composto de coletores solares (placas) e reservatório térmico (Boiler).
As placas coletoras são responsáveis pela absorção da radiação solar. O calor do sol, captado pelas placas do aquecedor solar, é transferido para a água que circula no interior de suas tubulações de cobre.
O reservatório térmico, também conhecido por Boiler, é um recipiente para armazenamento da água aquecida. São cilindros de cobre, inox ou polipropileno, isolados termicamente com poliuretano expandido sem CFC, que não agride a camada de ozônio. Desta forma, a água é conservada aquecida para consumo posterior. A caixa de água fria alimenta o reservatório térmico do aquecedor solar, mantendo-o sempre cheio.


Em sistemas convencionais, a água circula entre os coletores e o reservatório térmico através de um sistema natural chamado termossifão. Nesse sistema, a água dos coletores fica mais quente e, portanto, menos densa que a água no reservatório. Assim a água fria “empurra” a água quente gerando a circulação. Esses sistemas são chamados da circulação natural ou termossifão.
A circulação da água também pode ser feita através de motobombas em um processo chamado de circulação forçada ou bombeado, e são normalmente utilizados em piscinas e sistemas de grandes volumes.

O Coletor Solar


Quando os raios do sol atravessam o vidro da tampa do coletor, eles esquentam as aletas que são feitas de cobre ou alumínio e pintadas
com uma tinta especial e escura que ajuda na absorção máxima da radiação solar. O calor passa então das aletas para os tubos (serpentina) que geralmente são de cobre. Daí a água que está dentro da serpentina esquenta e vai direto para o reservatório do aquecedor solar.
Os coletores são fabricados com matéria-prima nobre, como o cobre e o alumínio. Recebem um cuidadoso isolamento térmico e ainda vedação com borracha de silicone. Eles, têm cobertura de vidro liso e são instalados sobre telhados ou lajes, sempre o mais próximo possível do reservatório térmico.
O número de coletores a ser usado numa instalação depende do tamanho do reservatório térmico, mas pode também variar de acordo com o nível de insolação de uma região ou até mesmo de acordo com as condições de instalação.
O reservatório térmico é como uma caixa d’água especial que cuida de manter quente a água armazenada no aquecedor solar . Esses cilindros são feitos de cobre, inox, ou polipropileno e depois recebem um isolante térmico. A maioria dos modelos de reservatório térmico vem com sistema de aquecimento auxiliar elétrico, mas podem ser fabricados com sistema auxiliar a gás ou até mesmo sem esse recurso.
Os modelos de reservatórios térmicos variam de 100 a 20 mil litros. O tamanho do reservatório térmico, ou seja, o volume de água que ele é capaz de armazenar, é calculado pelos técnicos depois que o usuário responde a uma série de questões. No dimensionamento do aquecedor solar é preciso saber quantas pessoas vão usar o sistema diariamente, a duração média e a quantidade de banhos diários, quantos serão os pontos de uso de água quente, ou a dimensão da piscina, e assim por diante.
Para garantir que nunca haverá falta de água quente, todo Aquecedor Solar traz um sistema auxiliar de Aquecimento.
E quando o tempo fica muito nublado ou chuvoso por vários dias, ou quando a casa recebe visitas e o número de banhos fica acima do dimensionamento inicial, o sistema auxiliar - que pode ser elétrico ou a gás - entra em ação.
Ou você pode usar o chuveiro elétrico normalmente, sem complicações. Mas a verdade é que com o nível de insolação do Brasil, o sistema auxiliar de Aquecimento é acionado apenas poucos dias por ano.

Aquecedor de Água Elétrico



Os elétricos são usados em chuveiros e torneiras através da eletricidade.
Os aquecedores elétricos também podem ser divididos entre de passagem e acumulação, embora os de passagem sejam conhecidos por outros nomes.

Aquecedores Elétricos de Passagem




Aquecedores elétricos de passagem são os mais comuns, mas mal nos damos conta deles. Os chuveiros elétricos, aquecedores de torneiras (instalados sob ou sobre pia) e similares são aquecedores elétricos de passagem.
Sua eficácia é menor do que os de acumulação e geralmente são instalados diretamente no ponto de uso. Suas vantagens são o baixo custo e facilidade de instalação, visto que dispensam a tubulação de água quente.
No caso dos chuveiros e das torneiras elétricas há como desvantagem o alto consumo e, não é incomum, o baixo rendimento. Como consequência, a água pode não estar suficientemente aquecida nos dias mais frios ou, para atingir uma temperatura mais alta, pode ser necessário reduzir demais o volume de água, a ponto de o banho ficar desconfortável.
Mas o mercado oferece bons aquecedores de passagem, com capacidade de atender a mais de um ponto e ótimo nível de aquecimento. Seu custo é superior ao dos chuveiros elétricos e, o consumo, igualmente considerável.

Aquecedores Elétricos de Passagem Versáteis





O Aquecedor Versátil pode ser utilizado em diversos locais que necessitam de água quente, proporcionando maior utilidade ao produto. Ele funciona em qualquer posição e conta com engate e desengate extremamente rápidos, tornando-o prático e fácil de instalar. O aquecedor é a melhor opção para aquecimento de água para pias e lavatórios, não causando desperdício de água ou energia. Sua medida é de 13 x 20 x 24 cm, facilitando seu manuseio. Ele conta com refil de fácil acesso, que permite uma rápida troca de resistência.

Aquecedores Elétricos de Acumulação (Boilers)





Os aquecedores elétricos de acumulação são usualmente chamados de boilers. Tem formato similar aos aquecedores a gás de acumulação: uma espécie de grande cilindro metálico.
A água fica acumulada dentro deste cilindro e permanece aquecida por resistências elétricas. As vantagens desse sistema são sua eficácia na produção de água quente, o fato de a água chegar rapidamente ao ponto de consumo e a possibilidade de atender diversos pontos.
O que elimina parte da desvantagem deste sistema que é o alto consumo de energia, posto que ele trabalha ininterruptamente para manter a água aquecida.
Para reduzir o consumo, entretanto, é possível instalar um timer que aciona o sistema em determinado horário programado (a hora que você costuma chegar em casa, por exemplo), deixando o boiler desligado o restante do dia.


Sempre é bom contar com alguém especializado no assunto na hora de efetivar sua escolha. Para isso basta consultar uma empresa confiável, preferencialmente uma que trabalhe com diversos tipos de aquecedores, de forma a garantir um aconselhamento imparcial do vendedor.


E então, alguém usa o sistema a gás ou solar? 
O que me dizem, muita economia de energia elétrica?

Na minha construção foram colocadas as esperas para água quente a gás, que será na cozinha (1 torneira), no banheiro da suíte (1 chuveiro, 1 banheira e 1 torneira) e no banheiro social (1 chuveiro, 1 torneira). 
O aparelho que vou usar será o aquecedor a gás de passagem, que ficará dentro da garagem, na parede ao lado da lavanderia!
Agora preciso comprar um aquecedor que ofereça a litragem necessária para abastecer meus banheiros e minha cozinha!!
Ainda pretendo colocar o aquecimento solar, mas aqui na minha região o valor é alto, em média R$ 10 mil reais instalado.


Que tal fazer um Curso de Decoração?



Leia Mais ►

NÃO ALTERE NEM MOVA ESTE GADGET!



Custom Search
Pin It button on image hover