3 Dicas para a escolha da paleta de cores

Mais do que os móveis, o sensor de presença para iluminação e as peças de destaque, o que mantém sua casa elegante é fazer bom uso da paleta de cores. Se olhar em volta, perceberá que cada cômodo tem uma, mesmo que seja monocromática.

IMAGEM FREEPIK

Embora o estilo de design tenha muito a ver com a sensação de cada local, descobrir a melhor, unifica tudo. Foi pensando nisso que criamos este texto, portanto, se ficou curioso, continue com a gente!

1- Saiba sobre cores primárias, secundárias e terciárias.


Seja para fazer pintura industrial ou residencial, é importante começar sabendo da divisão das cores. Isso o aproximará do tom ideal que deseja e, consequentemente, tira as chances de equívocos ou arrependimentos.

Cores primárias: vermelhos, azuis e amarelos. Essas cores não podem ser criadas;

Cores secundárias: laranjas, verdes e roxos. Estas podem ser criadas usando duas cores primárias;

Cores terciárias: uma mistura de cores secundárias e primárias para criar tons únicos. Você usa preto e branco para ter o cinza, por exemplo.




2 - Crie seu esquema de cores


Agora que entendeu os padrões, pode se aproximar do esquema de cores que melhor se adapte ao estilo e decoração da casa. 

São quatro possíveis estilos:

Monocromático: imagine que queira pintar o escritório de sua empresa de lavadora ultrassônica. O monocromático usará diferentes tons da mesma cor. Você pode ter uma parede azul escura, combinada com sofás de tons mais suaves, por exemplo;

Análoga: cores próximas uma ao lado da outra na roda de cores. Por exemplo, os amarelos podem ser usados ​​com verdes ou laranjas para apresentar mais vida;

Contraste: explore cores contrastantes, geralmente opostas uma à outra na roda de cores – por exemplo, verdes com azuis ou vermelhos com roxos;

Complementar: enfim, essas se complementam naturalmente. Dão um visual mais dramático. Por exemplo, azul contra laranja é uma cor complementar popular.

Ao avaliar as possibilidades de paletas de cores, comece com a tinta da parede. Em seguida, passe para peças mais difíceis de encontrar, como móveis e tapetes. Depois disso, siga para os detalhes menores.

3 - Experimente tons diferentes


Ao escolher a paleta de cores para móveis grandes e acessórios decorativos, manter uma coerência também é útil. Nesse caso, você ainda trabalhará com as mesmas três a cinco cores, mas expandirá sua pesquisa usando as variações das mesmas.

Por exemplo, se pensarmos na casa com vista para o mar, usar o tom areia escuro para os móveis é perfeito. O mesmo se aplica ao outro exemplo; tons verdes complementam as cores primárias que escolheu anteriormente. Lembre-se:

Escolha tons médios para tapetes e móveis grandes, mesmo que tenham um design estampado;

Use os tons mais claros para acessórios como almofadas e molduras.

Com todas essas dicas, certamente terá um grau de acerto enorme e poderá ‘brincar’ com as cores sem medo. Todavia, atente-se à qualidade do material e do profissional contratado. O que achou do texto de hoje? Se gostou, não se esqueça de enviar para os seus amigos e compartilhar em suas redes sociais, até a próxima!

Este artigo foi escrito por Éder Pessôa, criador de conteúdo do Soluções Industriais

0 comentários